Quando Gelson Martins, ao minuto 20, apontou o golo do Sporting no dérbi entre águias e leões poderíamos supor que a turma de Alvalade iria agarrar no jogo e cumprir o favoritismo

para este jogo, numa alura em que o conjunto visitante atravessa um momento francamente mais favorável, depois de um golo conseguido um pouco em contraciclo com o modo como estava a decorrer o jogo por aquela altura.

A verdade é que o Benfica entrou melhor no jogo, e mesmo em desvantagem não desarmou o seu melhor futebol, acabando por chegar ao empate no segundo tempo num jogo em que poderia mesmo ter somados os três pontos. A prestação do árbitro Hugo Miguel não ajudou para um resultado "limpo", face a erros crassos de arbitragem, acabando o jogo com a divisão de pontos a permitir um tónico de moral para o Benfica, que continua na corrida pelo título, e alguma frustração para o Sporting que não conseguiu atirar ao tapete o seu eterno rival.

No segundo tempo, Rui Vitória arriscou tudo, atirou a sua equipa para a frente em busca do golo que permitisse evitar a vitória do Sporting, e conseguiu isso mesmo num lance de grande penalidade indiscutível cometida por Battaglia em cima do minuto 90. Jonas foi chamado a converter o castigo máximo e, apesar de estar ali em causa a decisão do jogo e, porventura, o que poderia ter sido a decisão da época dos "encarnados", que estariam em muito maus lençóis caso perdessem este jogo, o avançado brasileiro não vacilou, rematando de forma colocada com uma transformação exemplar da grande penalidade deixando o guarda-redes Rui Patrício colado ao solo.

O jogo viria a terminar poucos minutos depois com um empate final (1-1), num jogo em que os "encarnados" ficaram com a clara convicção de que foram superiores e que poderiam mesmo ter vencido o jogo, nomeadamente se o árbitro Hugo Miguel tivesse assinalado uma das duas grandes penalidades, eventualmente três, que ficaram por assinalar. Já do lado do Sporting, mantém a vantagem de dois pontos para o Benfica mas aparece agora a trÊs pontos de distância do líder, o FC Porto, que entretanto nesta mesma 16ª jornada da Liga NOS venceu no terreno do Feirense por 1-2.

01LM8479 2FA4015 2FA4062 2FA4190 2FA4222

Revisto o clássico do Estádio da Luz entre Sport Lisboa e Benfica e Sporting Clube de Portugal que terminou com o já referido empate (1-1) decidido nos últimos minutos ficam algumas notas, nomeadamente em redor do trabalho do árbitro Hugo Miguel e do VAR Tiago Martins, dois nomes que os benfiquistas irão certamente ter alguma dificuldade em esquecer após este clássico no Estádio da Luz...

1 - Golo do Sporting precedido de um fora-de-jogo de Acuña que deveria ter invalidado o golo... erro do VAR que não assinalou o posicionamento irregular validando um golo precedido de um fora-de-jogo.
Decisão errada! 

2 - Ao minuto 27, Fábio Coentrão agarra Jardel e impede o central do Benfica de saltar à bola num lance em que fica por assinalar uma grande penalidade.
Decisão errada!

3 - Ao minuto 34, Fábio Coentrão recebe a bola a bater-lhe na cara num lance com algumas dúvidas mas terá avaliado bem Bruno Miguel que está em cima do lance e é peremptório ao dizer que é bola na cara não havendo por isso razão para a grande penalidade inicialmente pedida pelos adeptos benfiquistas. Curiosamente, já depois do jogo é conhecida uma fotografia que coloca a bola no braço de Fábio Coentrão, havendo ainda assim que dar o benefício da dúvida ao árbitro, criticando o VAR porque não esclareceu este lance
Aceita-se a decisão como correcta!

 2FA4266 2FA4363 2FA4450 2FA4625

4 - Ao minuto 60' a bola é desviada pelo braço esquerdo de Piccini ficando a dúvida sobre a intencionalidade do italiano do Sporting. O árbitro, bem colocado, considera o corte casual merecendo, pelo seu posicionamento no relvado, o benefício da dúvida.
Decisão correcta! 

5 - Ao minuto 63', Fejsa vê o cartão amarelo que poderia ter sido vermelho, uma falha do árbitro ainda maior se pensarmos que o médio do Benfica já deveria ter visto antes o amarelo e aqui seria acumulação de cartolinas amarelas e o consequente vermelho!
Decisão errada!

6 - Ao minuto 74', William Carvalho corta a bola com o braço num lance em que Hugo Miguel nada assinala ficando por marca nova grande penalidade.
Decisão errada!

7 - Minuto 87', grande penalidade assinalada contra o Sporting por corte de Battaglia com o braço num lance que não deixou dúvidas a Hugo Miguel.
Decisão correcta!

Resumo... Má arbitragem de Hugo Miguel com mau auxílio do VAR Tiago Martins, com um golo mal validado à formação do Sporting, duas grande penalidades por assinalar favoráveis ao Benfica e ainda uma expulsão perdoada ao benfiquista Fejsa. O Benfica garante um empate, mantém a distância para o rival Sporting na corrida pelo título, para um campeonato em que muito há ainda a discutir numa altura em que o campeonato chega ao final da primeira volta com toda a segunda volta ainda por discutir. Entre o primeiro e o terceiro classificados estão apenas cinco pontos de distância, uma margem que nada decide desde já.

análise: Jorge Reis
fotos: Luis Moreira

01LM871301LM877201LM8821 2FA5092

Pin It