Foi com um enorme sabor amargo que os adeptos do Sporting festejaram esta quinta-feira a vitória do Sporting no Estádio de Alvalade por 1-0 frente ao Atlético de Madrid, em jogo da segunda-mão dos quartos-de-final da Liga Europa, um resultado insuficiente para os leões que, depois de terem perdido na semana passada em casa da turma espanhola por 2-0, tinham agora que vencer por três golos mantendo a sua baliza intacta neste jogo de Lisboa.

E a verdade é que o Sporting, no jogo desta quinta-feira em Alvalade, teve tudo ao seu alcance para garantir mais e melhor, num jogo em que Jorge Jesus não pôde contar com elementos determinantes como Bas Dost ou Fábio Coentrão. Ao minuto 28 o golo de Montero permitiu sonhar, depois disso houve diversas oportunidades para empatar a eliminatória, mas a quantidade de oportunidades falhadas foi fatal para as ambições da turma do Sporting. A dominar como dominou, e a construir oportunidades como construiu, o Sporting acaba por só se poder queixar de si mesmo pois uma equipa nesta fase de uma competição da UEFA não pode falhar tanto como falhou.

Quanto ao Atlético de Madrid, depois de ter eliminado o Sporting por força do triunfo na primeira mão dos quartos-de-final, em Madrid, então por 2-0, e que fez com que a vitória agora do Sporting por 1-0 em Alvalade fosse insuficiente, junta-se no sorteio para as meias-finais que amanhã irá decorrer na UEFA, lado a lado com Arsenal, Marselha e um surpreendente Salzburgo, as quatro equipas que seguem para as meias-finais da Liga Europa da UEFA, uma competição em que o Sporting teve todas as condições para surpreender a turma de Madrid e seguir em frente, mas em que a falta de eficácia impediu o melhor resultado para os leões.

Afinal de contas, uma equipa que consegue chegar ao golo ao minuto 28, que teve diversas oportunidades de golo para fazer o 2-0 ainda antes do intervalo, e que teve ainda a sorte pelo seu lado quando o Atlético de Madrid falhou duas oportunidades flagrantes no segundo tempo, uma das quais graças a uma defesa soberba de Rui Patrício, uma equipa que consegue tudo isto tinha que conseguir aquele "bocadinho assim" que lhe faltou e que faz a diferença nas equipas realmente competitivas nas provas da UEFA. Sem esse “bocadinho assim”, o Sporting acabou por cair de pé, é certo, com uma vitória efectiva nesta competição frente ao poderoso Atlético de Madrid, mas limitando-se a garantir um resultado que em termos práticos acabou por permitir tão só uma vitória moral... mas pouco mais do que isso.

Curiosamente, a equipa do Sporting, que acaba de viver uma das semanas mais conturbadas da história do clube, conseguiu que os seus adeptos ainda acreditassem e fê-los sonhar, mas também será verdade, por suprema ironia, que algumas das críticas feitas pelo presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, aos jogadores às ordens de Jorge Jesus, durante os dias que se seguiram ao jogo de Madrid, acabam por ter algum fundamento. Afinal, não fosse o falhanço de Fredy Montero no último minuto do jogo de Madrid, e esse golo que ali não foi conseguido teria sido determinante para que o Sporting garantisse o apuramento nesta eliminatória. Ou ainda, não tivesse Bas Dost, por exemplo, visto o cartão amarelo que o impediu de alinhar esta quinta-feira em Alvalade, e a sua presença poderia mesmo ter sido decisiva. Estas circunstâncias, porém, nunca poderemos confirmar, mas deixam-nos pensar que Bruno de Carvalho até terá tido razões em algumas das críticas que fez, falhando o presidente do Sporting não no conteúdo mas na forma como criticou.

Ultrapassado este jogo, e com o Sporting arredado daquele que poderia ter sido mais um objectivo da presente temporada, nomeadamente a Liga Europa, isto já depois do campeonato ter ficado quase inacessível para o grupo de trabalho de Alvalade, restará à equipa às ordens de Jorge Jesus apontar baterias para a luta pela Taça de Portugal, competição para a qual irá ter que defrontar o FC Porto, em Alvalade, na próxima quarta-feira, já depois dos "dragões" terem jogado em casa do Benfica, no domingo, naquele que tudo aponta que possa ser o jogo do título. Esses jogos, porém, fazem parte de outras competições porque em relação a esta, a Liga Europa, está fechada a porta para a equipa do Sporting na temporada 2017/2018.

Fica ainda assim a garantia que este Sporting continua bem activo, e mesmo depois de uma semana trágica em Alvalade, Jorge Jesus tem tudo para acreditar no seu grupo de trabalho que irá ainda disputar a presença na final da Taça de Portugal, com o embate com o FC Porto na próxima quarta-feira. Essas contas, porém, são claramente de outro rosário e até lá muitos outros acontecimentos prometem fazer história e determinar o rumo no futuro imediato para o Sporting Clube de Portugal.

reportagem: Jorge Reis
fotografias: Luís Moreira

Pin It