Emoções fortes em noite de sexta-feira 13 marcaram a estreia de Luísa Sobral no Casino Estoril, ela que venceu, enquanto autora, o Festival da eurovisão da Canção, com o tema “Amar pelos dois”, interpretado pelo seu irmão Salvador Sobral que desta feita a acompanhou em palco.

Aliás, a propósito de Salvador, Luísa Sobral, tal como acontece quase sempre com qualquer um de nós que deixamos de ser o senhor ou a senhora fulana de tal para passarmos a ser o pai ou a mãe do Diogo, da Maria ou do João, também Luísa Sobral corre o risco de ser apontada na rua como “a irmã do Salvador”, algo que certamente não a incomoda tal é a cumplicidade que é visível entre ambos.

Neste concerto no Salão Preto e Prata do Casino Estoril, estes dois irmãos Sobral, reconhecidos como os portugueses que mais longe levaram o nome de Portugal no exterior pelo que fizeram ao recolocar a qualidade e o sentimento como fundamentos para a música popular, ultrapassando a musicalidade fácil e insossa associada à pop”, como foi possível ler no Diário de Notícias de 19 de Dezembro de 2017, mostraram como a sua cumplicidade se estende para a interpretação melódica da musicalidade de ambos. O propósito do concerto era apresentar o quarto álbum de originais, de nome próprio “Luísa”, editado em 2016 e agora apresentado pela primeira vez ao público do Casino Estoril.

Gravado em Los Angeles no mítico United Recording Studios, por onde já passaram nomes históricos como Frank Sinatra, Ray Charles, Ella Fitzgerald, Jay-Z, Radiohead ou U2, este álbum “Luísa” teve Joe Henry ao leme da produção, ele que é “apenas” vencedor de três Grammy Awards tendo ainda assinado trabalhos de músicos como Elvis Costello, Solomon Burke, Beck ou Madonna, credenciais que permitem desde logo um enorme carimbo de qualidade para este trabalho que agora o público do Casino Estoril pôde ouvir.

Dando conta de uma enorme empatia com o palco, onde se sente como em casa, Luísa Sobral facilmente cativou o público que não lhe regateou aplausos, estando ela sozinha em palco ou com o seu irmão Salvador. Depois de ter já passado por palcos e públicos tão distintos como os de Espanha, França, Suíça, Alemanha, Inglaterra, Marrocos, China, Zimbabwe e África do Sul, o concerto inédito no Salão Preto e Prata permitiu a Luísa Sobral fechar um ciclo feliz, subindo ao palco para apresentar os temas originais do seu álbum.

Depois de ter aprendido a amar – “Learn how to love” – Luís Sobral sozinha – “Alone” – em palco mostrou estar por sua conta – “On my own” – levando o público até ao “Jardim Roma”. A noite prosseguiu com temas como “Janie”, “Je t’adore” e “And so it goes”, ouvindo-se ainda “Rainbows” e “Inês” antes do tema que mais mexeu com o público do Salão Preto e Prata, aliás como não poderia deixar de ser: “Amar pelos dois”.

Outros temas como “Paspalhão”, “João” ou “Cupido” levaram o espectáculo até ao final, concluído com um encore com mais dois temas numa noite em que ficou clara a qualidade da música de Luísa Sobral, alguém que mostrou o empenho com o qual aposta tudo na música e na qualidade que lhe dedica, uma característica de família bem recebida pelo público anónimo, mas também pelas várias figuras públicas que fizeram questão de acompanhar esta passagem de Luísa Sobral pelo sempre bem preenchido Salão Preto e Prata por onde passaram nesta noite, e entre outros, Lili Caneças e Paulo Faustino, Ana Paula Reis, Ana Zanatti, Biba Pitta e Fernando Gouveia, Isabel Nogueira, Jô e Álvaro Caneças, Pedro Lima e Anna Westerlund como damos conta em baixo...

fotos: ©Casino Estoril

Pin It