Chocalho é Património da Humanidade

Chocalho é Património da Humanidade

A decisão foi anunciada após reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da UNESCO

terça, 01 dezembro 2015

chocalhoO fabrico do Chocalho foi considerado Património Cultural Imaterial da Humanidade com Necessidade de Salvaguarda Urgente pela UNESCO , após candidatura liderada pela Turismo do Alentejo / Ribatejo.

PUB

A decisão foi anunciada na 10.ª reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da UNESCO, que está a decorrer em Windhoek, na Namíbia. O risco de extinção do chocalho surge associado à consideração da UNESCO, como tal está nos registos como Necessidade de Salvaguarda Urgente.

Liderada pela Turismo do Alentejo / Ribatejo, em estreita parceria com a Câmara Municipal de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas, a candidatura visou alcançar o reconhecimento universal de uma arte identitária da região, mas também a sua valorização e salvaguarda. Recorde-se que é no Alentejo que o Fabrico de Chocalhos - uma arte iniciada há mais de dois mil anos na região - tem a maior expressão a nível nacional, uma vez que abrange três municípios, ou seja Estremoz, Reguengos de Monsaraz e Viana do Alentejo, mais concretamente a freguesia de Alcáçovas.

Para a Presidente da Junta de Freguesia de Alcáçovas, Sara Pajote, o selo atribuído pela Unesco “poderá alavancar o desenvolvimento concertado do turismo do Alentejo”. “A freguesia de Alcáçovas com os seus chocalheiros e esquilaneiros têm agora uma responsabilidade acrescida no incremento e preservação de uma arte milenar”, acrescentou.

Já nas palavras do Presidente da Câmara de Viana do Alentejo, Bengalinha Pinto, “a classificação do Fabrico de Chocalhos contribuirá, seguramente, para o desenvolvimento do concelho e da região. Esta conquista valoriza os chocalheiros e esquilaneiros, assim como o seu engenho e todo o património material e imaterial do concelho e respetivas potencialidades”.

Segundo o Presidente da Turismo do Alentejo / Ribatejo, António Ceia da Silva, “a identidade é um valor determinante na diferenciação e certificação de um destino turístico, logo o título agora conquistado pelo Fabrico de Chocalhos vem reforçar, junto dos mercados, a singularidade e diversidade de um Alentejo que se posiciona pela excelência e singularidade”.

Para a Embaixadora da Namíbia em Portugal, Helena Paiva, “Portugal regogiza-se com a inscrição do Fabrico de Chocalhos na Lista de Salvaguarda Urgente do Património Cultural Imaterial da Unesco, em particular porque tal aconteceu na primeira reunião do Comité em África, continente com o qual partilhamos relações culturais e históricas muito próximas”.

Destaque-se que, depois do título de Património da Humanidade atribuído ao Cante Alentejano em 2014, este é o segundo ano consecutivo que o Alentejo vê um bem identitário do território reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

Refira-se ainda que o projeto de valorização do Fabrico de Chocalhos não se limita à classificação pela Unesco, uma vez que a Turismo do Alentejo / Ribatejo, a Câmara de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas estão a desenvolver um plano de salvaguarda que garanta a sustentabilidade e transmissão de uma arte iniciada há mais de dois mil anos numa região que ostenta já quatro selos de Património Mundial, atribuídos a Évora e Elvas, ao Cante Alentejano e agora ao Fabrico de Chocalhos.

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.