Problemas com alimentação são fatais diz DGS

Problemas com alimentação são fatais diz DGS

A Direcção-Geral da Saúde divulgou um relatório onde se pode verificar que 210 pessoas morreram em 2013 devido à obesidade

ObesidadeA obesidade e outras formas de hiperalimentação mataram 210 pessoas no ano de 2013, sendo que 71 faleceram devido a desnutrição .

PUB

Os dados são da Direcção-Geral da Saúde onde se pode verificar que, em 2014, existiam 620.769 utentes com registo de obesidade. No mesmo ano, eram 497.167 os utentes com registo de excesso de peso.

“A questão das desigualdades sociais e o seu impacto no acesso e consumo adequado de alimentos e consequentemente no estado de saúde dos indivíduos parece assumir uma importância ainda maior no atual contexto de crise económica que se faz sentir na Europa e em particular em Portugal", pode ler-se no documento da DGS.

O mesmo relatório refere ainda que “é de esperar que a atual situação de instabilidade económica, caracterizada pelas elevadas taxas de desemprego, aumentos consideráveis ao nível da carga fiscal com impacto também no que se refere ao preço dos alimentos e a redução de salários e dos apoios sociais prestados pelo Estado, tenha um impacto considerável nos índices de pobreza e desigualdades sociais em Portugal."

O documento da Direcçao-Geral da Saúde aponta algumas questões que podem resultar nesta situação: “É expectável que um período marcado por crescentes desigualdades na distribuição de rendimento e por elevadas taxas de pobreza tenha um significativo impacto no consumo alimentar e estado de saúde da população portuguesa, podendo estar comprometida a garantia da segurança alimentar (food security) para um número elevado de agregados familiares portugueses, isto é, a garantia do acesso a alimentos em quantidade suficientes, seguros e nutricionalmente adequados."

A DGS lembrou ainda o que fazer para melhorar estes dados: “A promoção de hábitos alimentares saudáveis exige trabalho concertado com outros setores a médio prazo. Os serviços de saúde necessitam de se preparar melhor para lidar de forma integrada com outros setores da sociedade na prevenção da pandemia da obesidade e na promoção de hábitos alimentares saudáveis.”

texto: João Carreira

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.