Nauticampo antecipa futuro em crescimento

Nauticampo antecipa futuro em crescimento

No fecho da 46ª edição da Nauticampo, os mais de 180 expositores e os 35 mil visitantes permitem optimismo e antecipam crescimento

Nauticampo-PanoramicaUm balanço positivo, optimista e com indicadores de crescimento do sector que permitem olhar para o futuro com um certame de maiores dimensões marcam o apuramento dos primeiros números da Nauticampo , certame que viveu a sua 46ª edição para aquele que é o salão de referência nacional e um dos mais antigos da Europa, organizado pela FIL, Fundação AIP, com o apoio da ACAP. Ao longo dos cinco dias do certame, estiveram representados produtos e serviços de mais de 180 empresas dedicados à Náutica de Recreio, ao Ar Livre e Família e Desporto e Aventura, e “subiram a bordo” mais de 35 000 visitantes.

PUB

Para trás, confirmando as expectativas dos organizadores deste evento, ficou ume edição da Nauticampo que veio reflectir o crescimento de um sector que atravessou uma conjuntura económica difícil num passado recente, em conjunto com parceiros e empresas. Agora, com esta edição, foi possível reflectir a franca melhoria que se vive actualmente, com um aumento de 21% de empresas presentes e 30% de área relativamente a 2015.

Em comunicado dos organizadores deste evento, e para a eventualidade de que alguém possa apontar este crescimento como "sinais dos tempos", prefere a organização salientar "o trabalho conjunto entre todos os empresários destas áreas, pela força e energia com que se adaptam e inovam, como forma de transpor obstáculos". Recorde-se que o certame, tal como aqui demos conta oportunamente, foi inaugurado pela Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, a qual foi recebida pelos responsáveis da FIL, Fundação AIP e da ACAP/APICAN.

Sinais de revitalização

Na 46ª edição da Nauticampo, a Náutica de Recreio marcou presença com as tradicionais embarcações e com algumas novidades que procuram ir ao encontro dos desafios do mercado. Assim, e entre outros destaques nesta área, fica a referência para a presença da 3ª geração da Riamar, também da Litmala, que comemorou o seu 35º aniversário, apresentando marcas em exclusivo, mas certamente para a apresentação das mais recentes inovações no sector como as embarcações Electro-Solar, soluções que reflectem a necessidade de preservação de ecossistemas frágeis como rias, lagoas, barragens, lagos e zonas estuarinas, sendo cada vez mais eficientes e económicas.

IMG 2858IMG 2862

Entre marcas reconhecidas internacionalmente, edições limitadas e equipamentos de alta tecnologia, de segurança e comunicação, a Náutica de Recreio ganhou este ano uma maior representatividade na Nauticampo.

Na área de Ar Livre e Família, o Campismo e Caravanismo também teve um acréscimo de área exposicional, para cerca de 20% de aumento no número de expositores, perspectivando-se uma ampliação na próxima edição. O visitante do certame que ocupou o Pavilhão 1 da FIL pôde assim apreciar uma oferta de Luxo com acesso à possibilidade não só de compra mas também de aluguer de vários modelos em exposição.

Perspectivas de expansão

Para além dos sectores tradicionais, a par do Desporto, do Turismo Activo, dos meios de transporte e lazer que apostam na economia e mobilidade, como as trotinetes, a Nauticampo tem espaço para crescer na oferta de destinos, como foram já este ano exemplo a Batalha e o Seixal, assim como nas actividades marítimo/turísticas como o mergulho, a pesca ou a visualização de cetáceos. Esta realidade é já um desafio abraçado pela organização para 2017.

E porque nem só de produtos expostos viveu esta Nauticampo, será necessário dar conta do vasto programa de apresentações e debate de temáticas actuais, como a apresentação do Estudo de Impacto Económico e Turístico de Cenários de Desenvolvimento da Náutica de Recreio, da responsabilidade de Fernando Perna, uma organização Docapesca, ainda a apresentação da Estação Náutica do Seixal e o lançamento da Rota do Bacalhau pela mesma, o testemunho de Francisco Lufinha para falar da sua aventura em Kite Surf a convite da DND, o tema da segurança a bordo, pelo grupo Siroco.

IMG 2857IMG 2864

A Marinha do Tejo abordou o tema da Via da Água e as embarcações tradicionais, tendo sido também apresentado o Campeonato do Mundo de Vaurien que se realizará em Viana do Castelo, pela Federação Portuguesa de Vela. O Clube Naval de Ponta Delgada falou da Pesca de alto mar nos Açores, tendo o Jornal Economia do Mar abordado a temática “Que Marítimo Turística Queremos?”

E porque o futuro é importante para a realidade da Nauticampo e deste sector de actividade, houve que olhar para aqueles que são o futuro, motivi pelo qual as crianças não foram esquecidas. Nesse sentido, a Náutica Press e a Revista Passear falaram de Pesca desportiva para crianças, entre outros temas. Já a Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal questionou o passado e o futuro do Autocaravanismo e a Federação Portuguesa de Autocaravanismo abordou o tema como uma forma de turismo.

Torna-se por tudo isto possível olhar para 2017 e para aquela que deverá ser a 47ª edição da Nauticampo com o maior optimismo, quer do ponto de vista dos expositiores, quer também do interesse que se antecipa por parte dos visitantes que cada vez mais olham para os temas relacionados com o certame com um interesse sem dúvida crescente.

fotos: JR/LusoNotícias

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.