Raquel Tavares encheu o Coliseu em nome próprio

Raquel Tavares encheu o Coliseu em nome próprio

Vinte anos depois da estreia no mesmo local numa Noite de Fado, Raquel Tavares concretizou o sonho da sua vida no Coliseu de Lisboa

RaquelTavares00Quando, há duas décadas, Raquel Tavares cantou pela primeira vez no Coliseu de Lisboa, na edição de 1997 da Grande Noite do Fado, nascia o sonho agora cumprido de regressar à mítica sala de espectáculos da capital, algo que a fadista concretizou às 21h45 do dia 21 de Abril, agora em nome próprio, condição mais do que preenchida não só porque ali chegou a solo, ela o seu o público, mas também porque trazia consigo o seu mais recente trabalho, o álbum “Raquel”, cantado perante um coliseu cheio que permitiu a Raquel Tavares conquistar o seu sonho.

PUB

O espectáculo arrancou precisamente com um vídeo da RTP em que Raquel Tavares há 20 anos, pisava pela primeira vez o palco do Coliseu de Lisboa naquela já distante “Noite do Fado” de 1997. As primeiras palavras de Raquel Tavares surgiram logo após a primeira música, dirigindo-se ao seu público assumindo emoções: “Olá Lisboa! Quem me conhece sabe que sou de falar muito, e eu pensei em tanta coisa para dizer, mas jurei que não ia falar imenso, pois as emoções são muitas, não há nada que adjetive o que vai aqui dentro, vocês estão a participar no maior sonho da minha vida!”

A artista agradeceu aos que lhe permitiram a concretização deste sonho, desde João Ruela à Sony, passando pela Everything is New e Álvaro Covões, deixando ainda uma palavra para todo o público: “Foi Deus que quis assim, sou muito grata a quem me destinou este caminho, a vocês muito obrigada!”

RaquelTavares01RaquelTavares03RaquelTavares04RaquelTavares06

Raquela Tavares avançava assim para um espectáculo que teve momentos de grande qualidade, aplaudidos por um público rendido a uma voz que é já marcante na música portuguesa. Do alinhamento vieram os temas que todo o Coliseu esperava. O público respondeu aclamando a artista durante todo o espectáculo e o sorriso no rosto de Raquel Tavares era mais do compreensível. Ouviram-se temas como “Regras de sensatez”, “Não me esperes de Volta”, “Coração Vagabundo” ou “Gostar de quem gosta de nós”, sempre acompanhados por pequenos vídeos de imagens e entrevistas.

Entre as imagens que foram sendo passadas, a referência alguns momentos em que se viu Raquel Tavares e a sua musa, Beatriz da Conceição, de quem herdou o xaile com que se apresenta nos fados mais tradicionais.

Além de Beatriz da Conceição, Raquel Tavares aponta também como inspiração Fernando Maurício, com quem tudo aprendeu. E como lhe disse a sua tia Maria da Fé — “Ó filha tu agora já podes cantar o que te apetecer!” —, Raquel assume-se como a fadista que canta canções.

RaquelTavares07RaquelTavares08RaquelTavares09RaquelTavares10

Acompanhada pelos músicos André Dias, Bernardo Viana, Daniel Pinto e Fred Ferreira na bateria, Raquel Tavares permitiu a festa com o ponto mais alto a surgir na interpretação do 'hit' “O meu amor”, interpretado com a companhia de todo o público do Coliseu de Lisboa.

No final da noite, Raquel Tavares era claramente uma mulher feliz, merecedora dos parabéns pelo sonho cumprido, e dos agradecimentos por parte de todo o público que a acompanhou pela excelente noite em torno de “Raquel”.

texto: Ana Cristina Augusto
fotos: ©Everything is New

RaquelTavares12RaquelTavares13RaquelTavares14RaquelTavares15

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.