Restaurante Pão à Mesa aposta na tradição

Restaurante Pão à Mesa aposta na tradição

Fomos conhecer a nova carta do “Pão à Mesa” proposta pelo Chef António Amorim com uma presença constante da cozinha tradicional portuguesa

sexta, 28 abril 2017

PaoAMesa-001-Capa01A proposta foi-nos feita no sentido de irmos ao encontro da nova carta para a temporada Primavera-Verão no Restaurante Pão à Mesa, um trabalho do Chef António Amorim que resolveu reinventar pratos tradicionalmente portugueses oriundos de várias zonas do país.

PUB

No Principe Real, em pleno coração da cidade de Lisboa, onde por vezes é mais fácil encontrar quem fale qualquer outra língua que não o português mas em que as escolhas gastronómicas nacionais surgem na linha da frente de quem por ali procura os melhores sabores e paladares, surge assim este espaço acolhedor, de decoração agradável e também ela a apontar para valores portugueses.

Por entre madeiras e cortiça, com alguns azulejos e imagens de Fernando Pessoa, Eça de Queirós e Florbela Espanca, fomos recebendo à mesa os pratos de uma das melhores cozinhas do mundo, a portuguesa, acompanhada por propostas de uma boa carta de vinhos que dá conta da capacidade de conjugar bem com os vários pratos e diferente gosto dos clientes.

Para a abertura dos palatos, a primeira proposta do Chef António Amorim surgiu em redor das entradas como o “Pão Saloio de Pica Pau com Milho e Padrons”, estes últimos divinais, também uma “Salada de Bacalhau Crú e Feijão” ou ainda uma “Salada Biológica de variedades de Tomates, Presunto, Requeijão e Azeite”. Depois, avançamos para o peixe com “O mar à sua mesa...”, com Pregado e Arroz de Lingueirão Malandro, aqui num desafio ousado já que nem em todo o lado se consegue degustar um arroz de lingueirão que deixe nos comensais, mais do que a vontade, a obrigação de voltar.

PaoAMesa-002-Geral01PaoAMesa-003-Ementa01PaoAMesa-004-Entradas01PaoAMesa-006-Entradas04

Era tempo de deixar a companhia do vinho branco “Paulo Laureano”, um néctar da região de Lisboa, mais propriamente de Bucelas, e passar ao tinto, um “Viúva Le Cocq” de 2013, vinho produzido na encosta sul da Serra de São Mamede, agora para acompanhar “As melhores pastagens”, com a carne de Novilho Braseado lado a lado com Milho Frito e Legumes Assados. E no fim, “the last but not the least”, para a perdição dos mais gulosos, “O último pedaço”, sobremesa com Leite Creme de Mel, Farófias de Limão e Crumble de Amêndoa.

Já com o café, um curto diálogo com o Chef António Amorim, alguém que se assum como “um bom garfo” desde a sua infância, a quem, ainda assim, nem sempre lhe agradava a sugestão que havia outrora à mesa. Já nessa altura seguia as pegadas da mãe e punha-se a cozinhar com o seu toque pessoal, tendo na exigência o seu vínculo mais forte, uma linha de carácter que o veio marcando até hoje no profissionalismo, dedicação e perfeição.

Ao longo da sua infância e vivências de aprendizagem considera que o mais importante tenha sido por opção ter abandonado o ensino (regressando mais tarde) e dedicar o seu tempo à cozinha, onde aprendeu as bases de uma cozinha rica, tradicional e caseira. Percorreu meio mundo no âmbito profissional, tendo atravessado vários continentes de onde trouxe uma boa lição de vida de vivências e conquistas profissionais, assim como, a gastronomia de cada local.

Amante dos desportos radicais e alguém para quem viajar é, além de um prazer, sempre mais uma experiência de vida, António Amorim frequenta actualmente a licenciatura em Produção Alimentar na Restauração da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, contando no seu currículo com diversas outras formações específicas da área. É chef consultor e Imagem do Queijo Saloio e colabora com a revista Teleculinaria e com a revista Sport Life.

Já passou pela chefia de diversos restaurantes e como consultor em Hong Kong, nomeadamente o restaurante Rotas das Sedas, o restaurante do vila joya Algarve e o restaurante Feitoria do Altis Belem, Chefia no Blend Bairro Alto, Chef proprietário do restaurante “A”, e agora, Chef Consultor no Restaurante Pão Á Mesa e do restaurante El Clandestino.

Para além da paixão pela cozinha gostaria de se dedicar a outras actividades. É um amante de desportos radicais, ou não tivesse sido para-quedista durante nove anos! Adora skysurf e uma boa praia. Viajar é, além de um prazer, sempre mais uma experiência de vida e um ‘carimbo’ no currículo.

PaoAMesa-008-Peixe02PaoAMesa-009-VinhoBranco01PaoAMesa-010-VinhoTinto01PaoAMesa-011-Carne01

Restará referir que este Restaurante Pão à Mesa faz parte do Grupo Alentejo, um “player” na área da restauração desde o ano 2000 através do qual surgiram alguns conceitos como as marcas de cafetarias “Quiosque dos Sabores”, “Espaço Gourmet”, “Delta Gourmet Café”, “Nicola Gourmet” e “ First Class Café”, mas também as marcas de restauração “Alentejo”, “Brasa Rio”, “Serra da Estrela”, “BeLight”, “Italian Republic”, “Nova Peixaria”, "Italian Burguers”, "italian Burguers & Lobster", Padaria do Bairro e “Bife no Ponto”.

À frente deste espaço está a sua sócia-gerente, Andreia Duarte, com uma vasta experiência na restauração, ela que ficou responsável pelas operações do Espaço Gourmet em concessões em empresas e hospitais privados - Grupo José de Mello, Grupo TVI, Hospital Santa Maria, Grupo Luz Saúde e Grupo Português de Saúde. Em 2012, surgiu a oportunidade com o "Food Moments", uma cafetaria-restaurante no Alto dos Moinhos, em frente ao Hospital dos Lusíadas, que atualmente conta com uma média de 150 refeições por dia, principalmente aos almoços.

À saída, um derradeiro olhar para este Restaurante Pão à Mesa no Príncipe Real e, na parede, para uma frase de Fernando Pessoa que nos aponta a forma como devemos ver “O valor das coisas”...

“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.”
Fernando Pessoa

reportagem: Jorge Reis

PaoAMesa-012-Sobremesa02PaoAMesa-013-AntonioAmorim01PaoAMesa-005-Entradas02

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.