“Volta ao Mundo em 80 Minutos” no Estoril

“Volta ao Mundo em 80 Minutos” no Estoril

Com João Baião à frente de um elenco de actores-cantores de elevada qualidade, está em palco a mais recente produção de Filipe La Féria

IMG 8002Nome desde há muito incontornável do espectáculo de palco em Portugal, Filipe La Féria volta a ter em cena uma produção musical a não perder, “A Volta ao Mundo em 80 Minutos” , em palco no Salão Preto e Prata do Casino Estoril desde o passado dia 26 de Maio, com um elenco liderado por João Baião e cuja estreia foi acompanhada pelo canal de Cultura do portal LusoNotícias. Perante uma plateia que não regateou aplausos a um espectáculo musical divertido, marcado pelo cunho de La Férias mas também do próprio Baião, que interpreta o papel de Phileas Fogg, pudemos assistir à colocação em cena de uma “variante” muito adaptada da obra de Júlio Verne, “Volta ao Mundo em 80 Dias”, publicada em 1873 e aqui “condensada” em 80 minutos.

PUB

Um musical pleno de cor e ritmo, com temas alusivos aos vários pontos do globo por onde passou a viagem de Phileas Fogg, seguindo este sempre acompanhado do seu valete francês Passepartout, vai ao encontro do texto original de Júlio Verne. O clube inglês na metropolitana cidade de Londres governada pela mítica rainha Vitória, de onde partiu o “original” Phileas Fogg para a sua aventura de 80 dias, deu o seu lugar neste recontar da história agora na versão de Filipe La Féria a um igualmente rico e luxuoso clube nocturno do Estoril nos finais do século XIX. Ali, por entre desafios e apostas, o Phileas Fogg de João Baião aposta a sua fortuna em que consegue dar a volta ao mundo em 80 minutos e avança para uma aventura divertida a bordo de um balão, de avião, barco, comboio ou mesmo nos cada vez mais omnipresentes tuk-tuks.

Apóas a saída do Estoril, Madrid e a festa brava surge como o primeiro ponto de passagem, seguindo-se depois Paris, Londres, Roma, um “salto” à Antártida, seguindo a viagem depois para a Rússia, China, Índia, Egipto, África, Argentina, Cuba, Brasil os Estados Unidos e um regresso “milagroso” ao Estoril dentro do prazo estipulado. Pelo caminho, os dois heróis desta história, Phileas Fogg e Passepartout cruzam-se com nomes conhecidos, mas também com músicas e ritmos ligados aos respectivos locais.

O samba brasileiro, o tango argentino ou os musicais da Broadway são apenas alguns dos sons que se destacam nesta viagem de 80 minutos em que há ainda tempo para recordar cenas de grandes filmes como o Titanic ou Mary Poppins. E se acham que nada mais se passou por ali, a verdade é que João Baião teve ainda tempo para uma pequena homenagem a Amália, sem esquecer de referir o musical em cena no Politeama, conseguindo ainda colocar sobre o palco do Salão Preto e Prata do Casino Estoril uma referencia divertida ao programa televisivo MasterChef.

E se João Baião surge como o protagonista em redor de quem tudo se passa, não poderão ser esquecidos outros nomes que integram este elenco como Catarina Pereira, Carina Leitão, Dora, Filipe Albuquerque, Paula Sá, Ricardo Soler ou Samuel de Albuquerque, entre tantos outros. Herman José e Fernando Mendes estão ainda entre os nomes sobejamente conhecimentos que participam neste espectáculo, ainda que em trechos gravados em vídeo onde ajudam a colocar um sorriso mais no rosto do público. Bailarinos e até acrobatas ajudam a criar o ambiente de magia que marca todo o espectáculo durante o qual João Baião brinca com o público, provocando gargalhadas ao seu jeito bem peculiar.

No final dos prometidos 80 minutos, a viagem musical chega de novo ao Estoril, de onde afinal nunca saímos para acompanhar esta produção de Filipe La Féria, ele que a acompanhou tal como nós do topo do Salão Preto e Prata, sem regatear aplausos aos seus artistas. Terminada a viagem de Phileas Fogg e Passepartout, Filipe La Féria foi também ele até ao palco para receber os aplausos do público lado a lado com João Baião e todo o elenco.

Entre os agradecimentos, La Féria não se esqueceu de deixar também o apelo para que o público acorra a este espectáculo mas também a outros do mesmo género, ele que tem por “hábito” conseguir enormes sucessos nas produções que coloca em palco, algo que aconteceu espectáculos como “Fado”, “O Melhor de La Féria”, “ A Noite das Mil Estrelas“ e“ O Musical da Minha Vida”.

Agora, esta “Volta ao Mundo em 80 Minutos” por certo que não fugirá à norma, pelo menos a julgar pela qualidade que demonstrou na estreia e pela aceitação, agrado e aplausos que o público que acompanhou este primeiro espectáculo evidenciou.

A Volta Ao Mundo Em 80 Minutos pode ser vista no Salão Preto e Prata do Casino Estoril de quinta a sábado às 21h30, e sábados e domingos às 17h00, para maiores de 12 anos. Os bilhetes estão à venda online e no Casino Estoril e custam entre 15 e 35 euros.

reportagem: Jorge Reis

IMG 8519

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.