Hermoso e Manzanares em alta no Campo Pequeno
Hoje é Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017

Hermoso e Manzanares em alta no Campo Pequeno

Pablo Hermoso e José Mari Manzanares estiveram em destaque na corrida mista realizada na Praça de Lisboa levando os aficcionados ao rubro

IMGL7098O Campo Pequeno recebeu na última quinta-feira, 13 de Julho, Pablo Hermoso e José Mari Manzanares, dois ícones da tauromaquia espanhola que, em noite de verão, permitiram aficcionados da Festa Brava mais um espectáculo cheio de arte e emoção. Uma vez mais, o canal de Cultura do portal LusoNotícias acompanhou esta excelente Corrida Mista que mereceu do público enormes aplausos pela qualidade do espectáculo permitido.

PUB

Após um minuto de silêncio em memória do ganadeiro José Palha, uma homenagem que antecedeu a corrida na Praça de Lisboa, Pablo Hermoso de Mendonza, a cavalo, e José Manzanares, a pé, partiram para um frente a frente que viria a ser coroado de êxito, garantido por dois dos mais conceituados nomes do toureio mundial que levaram o público do Campo Pequeno ao rubro em casa quase cheia.

Quanto ao “rejoneador” Pablo Hermoso de Mendonza Cantón, de 51 anos, natural de Navarra, Espanha, foi arrojado, toureou, templou e ladeou na cara do toiro. A primeira lide de Pablo Hermoso, contudo, nem teve o melhor início, mas já com o segundo touro da noite acabou por deleitar a Praça com as hermosinas frente ao nobre adversário, dando conta da sua arte e mestria a cavalo. Jacob Botero foi chamado nesta lide para cravar os dois ferros, e se o primeiro se revelou difícil, devido à falta de investida do touro, já o segundo foi de uma grande qualidade.

IMGL7009IMGL7022IMGL7034IMGL7079

Perante o último touro, Pablo Hermoso toreou em curto, deixando ferros de alto nível, situação que prosseguiu nos curtos, com cravagem aprumada e bonitos remates nas sortes. Reconhecendo o bom trabalhor do espanhol, o público aplaudiu de pé com muito entusiasmo, emoção e “aficcion”.

Chegava por aqui a altura de podermos acompanhar a prestação do matador José Maria Manzanares, ele que pôde triunfar na sua estreia no Campo Pequeno, vingando o toureio a pé e saindo em ombros pela Porta Grande do Tauródromo da Capital Portuguesa.

Curiosamente, no início das suas lides o matador não se ligou com o primeiro touro da noite que, após quatro pares de bandarilhas, manteve-se ainda assim com pouca investida. Contudo, nos adversários seguintes, touros de grande nível, Manzanares mostrou a sua arte na muleta, com faenas intensas e com excelentes traços de arte e de boa resolução.

IMGL7065IMGL7078IMGL7107IMGL7116

Com o último touro da noite, Manzanares abriu a lide com um farolazo de joelhos sendo que, quando foi para matar, o público e a Direcção de Corrida pediram o seu regresso, tendo simulado com excelente mérito a morte do touro com uma pancada de mão certeira. O seu suplente Joaquim Ribeiro "Cuqui" teve as últimas tandas ao seu cuidado. 

As pegas da noite estiveram a cargo do Grupo de Forcados de Montemor, com os forcados de cara, Francisco Barreto, João da Câmara e Francisco Borge a concretizarem os seus intentos, respectivamente, às segunda, quinta e primeira tentativas. Os touros lidados chegaram ao Campo Pequeno provenientes de quatro excelentes ganadarias — Charrua, Benjumea, Garcia Jimenez e Juan Pedro Domecq —, tudo para um conjunto de todo o espectáculo que se resumiu em mais uma grande noite de Festa Brava no Campo Pequeno plena de arte e emoção que por certo ficará na memória daqueles que a ela assistiram, certos de que acompanharam uma grandiosa Corrida Mista no coração de Lisboa.

texto: Glória Resende
fotos: Tito de Sousa 

IMGL7208IMGL7391

IMGL7123IMGL7499

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.