Patxi Andión em Lisboa com Zeca no coração
Hoje é Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017

Patxi Andión em Lisboa com Zeca no coração

O Tivoli BBVA foi palco para o espanhol Patxi Andión em mais uma presença junto do público português, desta feita a recordar Zeca Afonso

PatxiAndionSe ontem entrámos no Tivoli BBVA com Zeca no coração, como nos foi proposta, saímos de uma casa cheia não apenas com Zeca Afonso mas também com Patxi Andión igualmente presente no coração . O espanhol que desde há muito assumiu uma relação muito próxima com o nosso país e com a música portuguesa permitiu um espectáculo ímpar que sem dúvida agradou a todos aqueles que encheram a bonita sala da Avenida da Liberdade.

PUB

Por volta das 21h30 teve início o espectáculo de Patxi Andión, cantor espanhol que mantém uma relação estreita com o nosso país desde há muito. No ano de 1969, no programa Zip Zip, conheceu Zeca Afonso, e desde essa data muitos planos conjuntos foram desenhados apesar de não ter havido oportunidade para cumprir todos eles. Através das canções de protesto do "amigo Zeca", como a ele se refere, conheceu melhor o país que se ergueu contra a ditadura e onde é, também ele, reconhecido como um grande nome da música na língua de Cervantes.

2017 é o ano que marca três décadas desde o desaparecimento de José Afonso, acabando este por ser um dos motivos que permitiram nova passagem de Patxi Andión por Portugal. Em jeito de celebração da carreira de José Afonso, Patxi Andión propôs-se assim a evocar “a memória de um amigo”.

Ao longo de todo o espectáculo o cantor espanhol foi conversando com o público que encheu a sala do Tivoli. Falou de si, dos seus, do nosso país e das três vezes que a PIDE “amavelmente” o levou à fronteira. Com o decorrer dos anos, Patxi Andión aprendeu a falar português e elogia mesmo a língua que tanto gosta de usar.

A primeira parte do concerto contou com canções do repertório de Patxi Andión como "Compañera", "María", "A Quién Importará", "Desde que te Quiero" ou "Es Tan Difícil Dejar de Pensar". Pelo meio houve ainda tempo para alguns temas em português, mas também para algumas canções novas que sairão nos seus próximos discos, em 2018, data que celebra o cinquentenário da sua primeira edição discográfica.

Para o cantor não lhe faz sentido estar sempre a repetir temas já conhecidos, até porque corre-se o risco de entrarmos numa sessão de karaoke. Assim, enquanto músico, Patxi Andión mantém viva a necessidade de escrever e compor.

Em Lisboa, Patxi Andión apresentou-se acompanhado pelo pianista Gabriel García Diego, músico que actualmente está a compor os arranjos do CD "2018", também pelo baterista Guillermo McGill e pelo contrabaixista Josemi Garzon, nomes que, na qualidade de convidados, subiram ao palco do Tivoli tal como aconteceu com o seu filho Iñigo Andión, mas também com José Barros, Carlos Alberto Moniz e João Afonso, sobrinho de José Afonso. Juntos, interpretaram canções de Zeca Afonso que o público reconheceu e acompanhou.

Antes deste espectáculo, Patxi Andión recebera no passado dia 26 de Outubro, da Sociedade Portuguesa de Autores, a Medalha de Honra, atribuição especial da SPA já anteriormente entregue a nómes ímpares da música como Charles Aznavour e Jean Michel Jarre. A qualidade ímpar de Andión mantém-se inalterada numa noite que terminou de alma cheia, com Patxi Andión e Zeca Afonso bem preentes no nosso coração!

texto: Ana Cristina Augusto

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.