Arouca-FCP-00

FC Porto perdeu em Arouca (3-2) e fica mais longe do título


Sete pontos para o Benfica e o Sporting, com a agravante que o Sporting ainda tem um jogo a menos, é já distância que o FC Porto tem para os seus rivais diretos depois de ter perdido esta segunda-feira no terreno do Arouca por 3-2 para a equipa da casa. Num jogo em que quase nada correu bem aos dragões, o Arouca adiantou-se no marcador logo no primeiro minuto, com um golo de Rafa Mujica, começando aí a colocar em xeque a pretensão do FC Porto em garantir os três pontos do triunfo, necessários para não perder terreno para os rivais na corrida pelo título no campeonato da I Liga.

Depois do golo de Mujica, conseguido com um cabeceamento perfeito após assistência de Cristo Gonzalez, o FC Porto até conseguiu chegar à igualdade, ao minuto 9′, numa grande penalidade cobrada por Evanilson, ele que foi tocado dentro da área do Arouca por Bambu e que bateu ele mesmo o castigo máximo. Só que mesmo depois de conseguir repor a igualdade, o FC Porto, que neste jogo alinhou com o mesmo “onze” que vinha a conseguir bons resultados para a formação portista, mostrou hoje estar algo desconcentrado, com uma fraca ou quase inexistente eficácia ofensiva, como o próprio técnico portista, Sérgio Conceição, admitiu no final da partida.

Acabou assim por ser o Arouca a adiantar-se de novo no marcador, à passagem da meia-hora do jogo, tirando o melhor partido de mais uma grande penalidade, agora na sequência de um corte da bola com a mão por Pepe que desviou um remate de Jason que levaria a bola pela linha de fundo. O certo é que o capitão portista desviou mesmo a bola com a mão, o árbitro Hugo Almeida não teve dúvidas em apontar a grande penalidade e Cristo Gonzalez, o mesmo jogador que já tinha feito a assistência para o primeiro golo do jogo, foi esta feita chamado a bater o castigo máximo, fazendo o segundo golo para o Arouca na baliza de Diogo Costa.

Antes do intervalo, ao minuto 34′, Evanilson ainda colocou a bola no fundo da baliza de Arruabarrena, mas depois de analisado o lance pelo VAR o golo foi anulado por posição irregular do avançado portista. O FC Porto sentia grandes dificuldades na construção de lances ofensivos junto da baliza de Arruabarrena, o guardião do Arouca, acabando o jogo por ir para intervalo com a equipa da casa em vantagem perante um conjunto portista que tardava em conseguir encontrar o melhor fio de jogo, tendo acusado particularmente o segundo golo sofrido.

Já no segundo tempo, ao minuto 57′, ficou uma grande penalidade por assinalar que seria favorável ao FC Porto, num empurrão pelas costas de Esgaio sobre Galeno que nem o árbitro nem o VAR viu o lance. Pior ficou o FC Porto quando, já no segundo tempo, ao minuto 61′, o mesmo Jason que havia já estado no lance da grande penalidade concedida por Pepe, apareceu agora a fazer tudo sozinho, num lance de enorme qualidade técnica, a tirar dois elementos do FC Porto da sua frente numa iniciativa a partir do corredor direito, tendo tempo para fletir para o meio e, já enquadrado com a baliza de Diogo Costa, rematou para o poste mais distante para o melhor golo da noite, colocando o Arouca a vencer por 3-1 e deitando por terra o ânimo do conjunto portista.

Consciente de que não podia ceder mais terreno na corrida pelo título, sabendo que uma derrota nem sequer iria permitir ao FC Porto tirar o melhor partido do empate que o Benfica já somara nesta jornada no terreno do Vitória de Guimarães, o conjunto portista ainda pressionou, manteve a aposta no corredor direito onde apareceu quase sempre Francisco Conceição a tentar dar o melhor seguimento aos lances ofensivos do conjunto azul e branco, mas tardava em chegar um novo golo que permitisse ao FC Porto regressar à discussão deste jogo. Evanilson deu o seu lugar a Toni Martinez, Taremi já tinha entrado antes para o lugar de Galeno, mas nem com os jogadores mais credenciados no ataque o conjunto portista conseguia ultrapassar a defesa arouquense. Isso acabou por acontecer apenas ao minuto 87′ num lance em que Toni Martinez assistiu para o golo de Francisco Conceição, a colocar o resultado em 3-2, ainda assim favorável ao Arouca.

Hugo Almeida concedeu mais oito minutos de compensação, mas pelo meio o central do FC Porto, Fábio Cardoso, viu ainda um segundo cartão amarelo óbvio pela forma como entrou sobre um adversário, e com isso o consequente vermelho, terminando o FC Porto o jogo com apenas dez elementos em campo, acabando o jogo pouco depois com o Arouca a garantir os três pontos.

A equipa da casa garantiu assim uma vitória merecida sobre um FC Porto pouco eficaz, nada esclarecido e até mesmo algo trapalhão nos momentos de construção dos lances ofensivos, quase sempre anulados pela defesa da equipa da casa que conseguia depois partir para o ataque abeirando-se da área de baliza de Diogo Costa em igualdade numérica ou por vezes até em vantagem, obrigando a que elementos como Pepe ou Fábio Cardoso fossem obrigados a muito trabalho defensivo perante o bom jogo dos homens do Arouca, com destaque para Mujica, Cristo e Jason, um trio que fragmentou a defesa portista.

Com esta derrota o FC Porto fica agora cada vez mais longe do título, naturalmente ainda com tudo em aberto em termos matemáticos, mas com um horizonte particularmente complicado em face dos sete pontos que já leva de atraso de Benfica e Sporting. Ainda assim, se a derrota fez cair os dragões mais para trás relativamente a quem segue à sua frente no campeonato, manteve ainda assim os inco pontos de avanço para quem vem atrás de si, o Sporting de Braga, já que o conjunto bracarense também somou nesta jornada uma derrota em Alvalade, frente ao Sporting. Resta ao FC Porto apontar baterias ao próximo jogo do campeonato, no Estádio do Dragão, na recepção ao Estrela da Amadora, um jogo em que os pupilos de Sérgio Conceição irão querer reencontrar-se com os seus adeptos e com os triunfos.

Já o Arouca, com os três pontos agora conquistados sobre este adversário de “outro campeonato”, sobe ao sétimo lugar da tabela classificativa somando já 28 pontos, isto quando tem pela frente uma deslocação ao terreno do Casa Pia na próxima jornada, um adversário que não atravessa a melhor fase no campeonato e que precisará de pontuar para fugir à zona de despromoção na tabela da I Liga.

texto: Jorge Reis
fotos: ©X (twitter)

Sondagem

Qual a sua convicção pessoal relativamente ao curso da guerra na Ucrânia?

View Results

Loading ... Loading ...

Rádio LusoSaber

Facebook

Parcerias

Subscreva a nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossas últimas atualizações na sua caixa de entrada!