O Benfica venceu este sábado a turma do Portimonense, no terreno da turma algarvia, por um esclarecedor resultado de 5-1, ficando a uma vitória de poder garantir a conquista do campeonato da I Liga, o 38ª título de campeão português na história dos encarnados. Depois de ter vencido o Sporting de Braga na jornada anterior, a viagem até Portimão era um teste importante para a equipa de Roger Schmidt e a verdade é que o conjunto benfiquista passou com distinção neste exame frente a um Portimonense que ainda tentou dar luta mas que rapidamente “foi ao tapete”.

Aos três minutos, Grimaldo, a partir do corredor direito, apareceu a rematar para a baliza da equipa da casa com o guarda-redes Nakamura a agarrar a bola já para lá da linha de baliza, pelo menos a julgar pela indicação do árbitro auxilizar mas também do VAR que confirmaram que a bola foi agarrada pelo guarda-redes nipónico do Portimonense já dentro da baliza. Confirmado pela equipa de arbitragem liderada por Artur Soares Dias, o golo de Grimaldo permitiu que o Benfica passasse para a frente do marcador logo ao terceiro minuto do jogo, podendo manter a partir daí um domínio efectivo do jogo empurrando o Portimonense para o seu meio-campo defensivo.

Ao minuto 29, Filipe Relvas fez um desvio da bola dentro da sua área de baliza resultando num auto-golo, o que deixou o Benfica ainda mais tranquilo, e se é verdade que o Portimonense conseguiu o seu golo, ao minuto 38', por Pedrão, reduzindo a vantagem dos encarnados, a equipa visitante voltou a marcar no último minuto do primeiro tempo, por Gonçalo Ramos, num lance individual em que o ponta-de-lança benfiquista conseguiu voltar aos golos depois de várias semanas “em branco”.

As duas equipas voltaram assim para os balneários depois dos primeiros 45 minutos com o Benfica a vencer por 3-1, perante um Portimonense que raramente conseguiu sair do seu meio-campo de forma organizada num lance que significasse algum perigo para a baliza à guarda de Vlachodimos.

Com António Silva como o “patrão” da defesa, fruto da ausência de Otamendi que ficou de fora a cumprir um jogo de castigo depois de ter visto cinco cartões amarelos, e com Morato promovido à condição de titular, Roger Schmidt chamou ainda à equipa Grimaldo e Aursnes para as alas, num “onze” com Chiquinho e João Neves no meio-campo, e ainda David Neres, Rafa e João Mário atrás do “ponta” Gonçalo Ramos.

Do outro lado, o técnico Paulo Sérgio escalou um “onze” para o Portimonense com Nakamura entre os postes, uma linha defensiva de cinco elementos formada por Moufi, Pedrão, Park, Relvas e Seck, ainda três médios — Carlinhos, Maurício e Tornich – e dois elementos mais adiantados — Yago e Yony González — que raramente puderam “colocar o pé em ramo verde” no meio-campo do Benfica.

Aos 18 anos, João Neves apareceu em Portimão como o verdadeiro comandante do meio-campo do Benfica, sem se esconder do jogo, assumindo o jogo e distribuindo a posse de bola pelos seus companheiros apenas com um ou dois toques, tornando quase sempre simples alguns lances aparentemente mais complicados. Mais à frente, David Neres mostrou estar a regressar a um nível elevado que apresentou na primeira metade do presente campeonato, algo que também se poderá dizer para o futebol praticado por Rafa.

E se é verdade que Chiquinho e João Mário não estiveram tão influentes neste jogo como em partidas anteriores, o Benfica, enquanto equipa, justificou por completo a vitória sobre o Portimense completada no segundo tempo com mais dois golos, ambos de Petar Musa, ele que entrou para o lugar de Gonçalo Ramos para os derradeiros quinze minutos de jogo.

O Benfica cumpriu assim o objectivo da conquista de mais três pontos, desta feita em Portimão, podendo apontar desde já baterias ao próximo compromisso, o derby que irá colocar frente a frente Sporting e Benfica no Estádio de Alvalade, em jogo da penúltima jornada do campeonato da I Liga, no qual uma vitória benfiquista significará a confirmação da conquista do título português na presente temporada de 2022-2023.

Já o Portimonense, com a manutenção assegurada, terá que continuar a cumprir calendário, jogando no próximo fim-de-semana no terreno do “lanterna vermelha” Santa Clara.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte
Pin It